12 de fev de 2013

Artigos Fundamentais no Estudo da Dança

Oi meninas!

Como diz o bom brasileiro, o ano começa depois do Carnaval: acabou o arrego. 
Por isso já resolvi facilitar pra galera interessada, alguns artigos que contém dados interessantes para quem quer estudar dança mais profundamente. Tem links de artigos acadêmicos e livros que falam sobre as personalidades que definiram os aspectos da dança e a revolucionaram, essas poucas pessoas que se importaram tanto com os gestos e expressões, que nos deixaram informações valiosas sobre o entendimento e a importância do corpo e da alma "no Darwin".
Não importa para que lado pendemos, qual dança abrigamos no coração. Na verdade, apenas caracterizamos o foco. Não se iluda: dança do ventre ou tribal, em função da característica principal, que são os isolamentos, não significa que sejam menos ou mais do que outras danças "expansivas" ou malabarísticas, como contemporânea. Mas certamente ainda está no caminho para uma evolução significativa da nossa qualidade técnica e profissional.
Então, uma das coisas que pode contribuir muito para isso acontecer mais rapidamente tem a ver com uma teoria básica que pelo menos te ajude a colocar os pingos nos is e não falar coisas erradas (ou deixar de falar)  por não estar cursando uma faculdade de dança. 
O interesse em trazer à tona as influências importantes, antigas e novas do cenário geral da dança, é um ponto de partida para a experimentação de determinada referência, que pode enriquecer e inspirar uma nova expressão pessoal.
Uma coisa eu aprendi: quando precisamos abrir a mente, não importa se vamos para frente ou para trás no tempo: o importante é viajar, sair da zona de conforto. Se procuras inspiração, em algum lugar sempre vai achar, mas tem que sair do lugar comum. Se quer força e paixão, pesquisa dança flamenca e cigana. Se quer delicadeza e disciplina, dança chinesa. E por aí vai. Pra que ser ortodoxa com tanta diversidade?
Lembro quando comecei a estudar. Cara, era dureza. Não tinha internet. O primeiro arquivo musical era fita cassete (com música do Tony, hehe) e isso era a pipoca da vanguarda da dança do ventre. Depois é que veio cd e mais depois ainda dvd, mas aí já estávamos no ano 2000. Até aí, já eram dezenas de fitas de vídeo da Lulu. Viva o You Tube!!!
Por isso aproveitem esse mel na chupeta, que não tem desculpa. Fora isso, não deixem de ler muito. Beijos!!!

Nenhum comentário: